domingo, 14 de setembro de 2014

Xiconhoca 2014

A partir de um livro compilado em meados deste ano na Venezuela a partir dos cartoons originais do Xiconhoca, dos tempos revolucionários pós-independência.



 O que é O XICONHOCA?

O Departamento de Informação e Propaganda da FRELIMO criou em 1976, uma caricatura a que chamou XICONHOCA. Esta caricatura representa todo e qualquer inimigo interno (ideológico). Xiconhoca é uma palavra composta de dois nomes: Xico e Nhoca: O primeiro nome vem de Xico-Feio, um indivíduo que pertenceu à PIDE-DGS. Nhoca, em quase todos os dialectos do País, significa cobra. Bem sabemos qual é o modo de vida de uma cobra e os truques que usa quando quer atacar uma pessoa.

O Departamento de Informação e Propaganda achou necessário criar uma figura que representasse o nosso inimigo interno. Essa figura é o Xiconhoca.
Assim o Xiconhoca representa tudo aquilo que nós combatemos. Podemos dizer que ele tem uma boca de bêbado, uma orelha de boateiro, mãos de açambarcador e de especulador, olhos de racista, nariz de tribalista, dentes de regionalista, pés de confusionista. O Xiconhoca é uma figura que representa todos estes males deixados pelo colonialismo, e que o Povo moçambicano está a combater.

Xiconhocas são aqueles indivíduos que conduzem viaturas quando se encontram bêbados, originando graves acidentes; é o parasita que se recusa a trabalhar, a participar na produção colectiva.
Existem, no entanto, muitas pessoas que usam a palavra Xiconhoca por uma simples brincadeira. Tenho amigos que também tem esse hábito, num sentido de piada a gente chama xiconhoca ou xiconhoquices qualquer atitude admirável.
A população deve estar consciente que o Xiconhoca é um inimigo do Povo, é um indivíduo que tem o mesmo modo de vida do inimigo, do reaccionário, do inimigo da independência e soberania moçambicanas, é todo o indisciplinado, o corrupto, os bandidos, assassinos, ladrões, divisionistas, regionalistas, racistas, etc.




















































































































Sem comentários:

Enviar um comentário